sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Hairspray on Broadway

Tom Cruise fez Ases Indomáveis, Entrevista com Vampiro, Missão Impossível I, II e III, Efeito Colateral, Minority Report e matou, bateu e apanhou horrores em O Último Samurai.

Fácil, tudo muito fácil!
Queria ver era ele arrumar meu cabelo hoje...
Isso é o que eu chamo de "missão impossível".

Sim pois, hoje, quando me levantei, estava com os cabelos ligeiramente revoltos.
Ok. Não era ligeiramente, era depressiva e deprimentemente revoltos, pois me deprime lutar com eles pra que fiquem penteados. Se eu tivesse visto meu cabelo enquanto ainda dormia, certamente acordaria assustado. E se, me visse desapercebido, certamente morreria de susto.

Dramático? Não, acho que não estou sendo claro...
Meu cabelo tem vocação pra Rufles, a batata do onda, pois ele tem ondas que desenham rufles na minha cabeça. Isso é quando está penteado e molhado pois penteado e seco fica tipo cabelo com penteado "tia da noiva", aquela coisa super armada, expansiva para todos os lados, que ninguém sabe porque diabos uma pessoa sai de casa e vai a um casamento assim.

As vezes ele tenta, insistentemente, impor-me uma franjinha. É... eu acordo, lavo, penteio, escovo, e uma franja guerreira não se rende. Se eu a jogo pra traz, torna-se um topete a la novela mexicana, se deixo como está, fico a própria Thalia. Tipo franja de noiva ou a franja que a Angélica usava quando ainda mantinha suas mechas douradas frisadas (corte poodle).

Porém, hoje, meu cabelo amanheceu especialmente empenhado em vencer minha paciência. Cachinhos de anjinho barroco! Se fossem um pouco mais compridos, eu estaria parecendo uma fada. Uma fada que fugiu da chapinha pra brincar de Medusa e assutar a gnomaiada toda. E nem magia botaria ele no lugar. Nem magia negra!

Talvez seja culpa do corte, quer dizer, de estar sem corte. Eu adotei o moicano há uns 3 meses, mas ninguém me avisou que, depois de um tempo, o cabelo cresce e penteá-lo como moicano te faz parecer a Fran da família Dinossauro.

Ah, passei o "creme para pentear" que roubei da minha mãe e uma vez funcionou.
Uma vez. Não desta vez.

Eu penteei mais, e ele se armou contra mim! Sim, ele se armou! Nunca vi meu cabelo tão armado!
Lembra daquela foto célebre do Einstein? Eu lembrei... as vezes não é bom ter memória.
Então penteei mais e mais e, quando achei que não podia piorar, já estava a cara do cientista maluco do Mundo de Beakman. E muito maluco...

Eu devia ter feito uma dessas escovas regressivas!
Ou desses alisamentos com chocolate... branco, preto, amargo, crocante, ao leite... é, gostaria muito de fazer esse lance de chocolate!

Mas não desisti, apenas decidi: semana que vem, corto o mal pela raiz.
Não. Não vou depilar a cabeça com cera quente. Vou raspar de uma vez pra parar de ficar de cabeça quente.

(semi-verídico/semi-fictício - censura livre)

Um comentário:

André Sobreiro disse...

sensacional seu blog! vc chamou seus comentários de tagarelices! eu chamo de tagarelas!!!! como vim parar aqui? Twitter!!! Vou follow vc por lá tb!