quarta-feira, 25 de junho de 2008

Princesa Sara, Pare com o Ópio!

Vira e mexe começam de novo aquelas discussões sobre o conteúdo questionável das músicas infantis.
Já ouvi reclamarem de "Atirei o pau no gato" e cantarem versões educativas e pedagógicas (leia-se patéticas e entediantes) da inocente canção, conheci uma versão de "Ciranda, cirandinha" com final feliz (o pessoal ciranda, dá volta e meia, meia volta dá, o anel não quebra e a amizade é eterna... Blergth!) e também soube de modificações em contos infantis pra torná-los mais "fabulescos", mais "isto tem muito a ensinar" (leia-se enfadonhos!).

Como diria (e disse!) Rui Barbosa "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto." enfim, fiz o mesmo: abracei a causa, aderi a proposta e resolvi avaliar alguma fofurice infantil que talvez não fosse o que parece.

Não foi difícil!
Descobri que a perversidade deste mundo não tem fim e nossas crianças estão expostas a ela e sua influência o tempo todo (e me senti libertado, me entendi, me encontrei e me aceitei como sou! rsrs). Agora tenho a explicação pra origem das mazelas do mundo!

Entre as milhares de possibilidades de avaliações para fazer, escolhi o desenho Cavalo de Fogo.
Lembra dele? ("lembra" ou "lembra-se", Prof. Paschoale? nunca sei se lembrar é reflexivo. aliás, esquecer é verbo reflexivo? se esquecer for, então lembrar também é e você é maluco de esquecer de si prório! bom, voltando...)

É um desenho super alegre!
Logo na abertura uma moça, a rainha Sarana, morre; uma cena tocante em que um ser verde (o qual acredito ter reconhecido rejuvenescido em Dragon Ball Z) está ao seu lado na cama e, de repente, seu pulso cai morto.
Ah é, deixemos claro aqui que, embora ela esteja na cama, exausta e com este ser verde ao lado, a conotação não é sexual, ela morreu após o trabalho de parto.
Então, numa "vibe" Moisés Príncipe do Egito, a neném, Princesa Sara, é colocada numa cesta e levada para ser deixada longe dali. Quem fica encarregado do serviço é a Mula-sem-cabeça puro-sangue Cavalo de Fogo que, embora o nome sugira, não veio do inferno, é o protetor insano da princesa para o resto da vida, que vai buscá-la de volta do outro mundo toda vez que a situação aperta. O cavalo é de fogo, mas não aguenta sozinho quando a "chapa esquenta".

É... e a menina só entra em fria por causa do equino flamejante!
Ela tem uma tia que só tem uma roupa, um vestido de formatura com chapéu que ninguém entende, que, embora tenha um "corpaço!" não é boa! Culpa dos pais dela que a batizaram de Diabolyn! Queriam o que mais com um nome desses?
Fala-se a boca pequena no reino do Cavalo de Fogo (no rabo), que foi Diabolyn quem matou a Rainha Sarana pra ficar com o trono; e matou Odete Roitman pra ficar com a Heleninha.

Chega de sinopse!
Pra ser mais exato, a análise abaixo é baseada na letra da canção tema do desenho (que você pode ouvir aqui).
Repare como a música realmente fala uma coisa e sugere outra. Fez-me acordar e encontrar sentido no trabalho dessas pessoas preocupadas (desocupadas) com as cantigas de roda e o impacto das crueldades que o Cravo fez com a Rosa sobre a sanidade das nossas (incentes?) crianças.

Trem da Alegria - Cavalo de fogo (+/- 1987)

No meu sonho eu já vivi

(Ou sonhou ou viveu, as 2 coisas não pode!)
Um lindo conto infantil!
(Ahhhhhh, Bambi!)
Tudo era magia!
(Aqui, tudo é reciclável.)
Era um mundo fora do meu,
(Isso é esquizofrenia!)
E ao chegar desse sonho, acordei.
(Má vá! E ainda perdeu hora?!)
Foi quando, correndo, eu vi
(Por que estava correndo, Princesa Sara? Êxtase?)
Um cavalo de fogo ali,
(Estava sob efeito de tóxico. Certeza! Também viu Gnomos de fogo ali?)
Que mudou meu coração,
(Então era um traficante de órgãos, não um cavalo.)
Quando me disse então,
(O cavalo disse? Eu falei! Narcóticos! Só pode!)
Que um dia rainha eu seria,
(Xuxa é rainha, Sasha é princesinha!)
Se com a maldade eu pudesse acabar
(Entrou numa de Madre Tereza? Gandhi?)
E no mundo dos sonhos pudesse chegar!
(Ópio e chá de cogumelo nela!)

3 comentários:

Alessandro ALEH disse...

Hilário!!!
heheheh
=D

Srta. Bia disse...

Tô tentando lembrar desse ser verde... gente... como assim... nem o do dragonball eu lembro.
Adorei a ""vibe" Moisés Príncipe do Egito". Muito bom!!!
Gente, e será que a Heleninha não é a verdadeira Princesa Sarah crescida???

Anônimo disse...

Na verdade o mundo infantil é composto de gente que fala sobre drogas, sexo e todas as coisas ruins... E você nem sabe!

Quando cresce, pensa: "pqp, e eu gostava disso!"